#TalentoemBrasília - Filipe Henz

Como segunda parte da tag #TalentoemBrasília aqui do blog, hoje trago à vocês mais um ilustrador, Filipe Henz, bem conhecido aqui também por fazer os flyers do Zombie Walk Brasília, evento mundialmente conhecido. Os 3 ilustradores que eu escolhi tem características próprias na forma de desenhar e se "expressar" pela arte, o que faz cada um ser único. Filipe além de ilustrador é baterista na banda Cabaret Zumbi (que já falei aqui), psychobilly,  - e também meu cunhado haha -!
Confiram a entrevista que fiz com ele sobre suas ilustrações.


Filipe, quando você começou a desenhar, e por qual motivo?
- "Desde a minha infância eu desenho. Acho que é assim com todas as crianças, praticamente todas gostam de desenhar, colorir. A diferença é que eu continuei, desde que aprendi a pegar em uma caneta não parei mais de tentar mostrar pras outras pessoas a minha visão do mundo. Posso dizer que desenho desde que tenho dois anos de idade. Sempre fui muito fã de animação e tinha coleções de fitas das animações da Disney, foi algo que me motivou durante toda a minha infância e parte da minha adolescência. Eu assistia àqueles filmes e tudo o que eu pensava era no momento em que eu me tornaria um animador profissional. Naquela época não existia aparelhos DVD por aqui ainda, então eu assistia os filmes inteiros pra que, depois dos créditos, eu pudesse delirar com os making offs e todo o processo de produção de uma animação. Acabei conhecendo os quadrinhos e mudando um pouco o foco. Talvez pelo fato de ser um pouco menos difícil e de, no fim das contas, não precisar de uma equipe tão grande para produção de um filme. Na produção de quadrinhos você pode fazer tudo sozinho e ter um resultado ótimo."

Quais são as suas principais influências e inspirações?
- "Animações da Disney sempre foram minhas inspirações, não nego que até hoje me inspiro nos traços e movimentos de seus desenhos. Acabei adquirindo, ao longo do tempo, traços mais marcados, mais hachurados, hoje tenho como influências artistas como Moebius, R. Crumb, Katisuhiro Otomo e alguns brasileiros como Shiko, Rafael Grampá e Lourenço Mutarelli. Claro que existem muitos outros grandes artistas que admiro, mas atualmente tenho prestado mais atenção no trabalho desse pessoal."

Me conte um pouco sobre o seu traço/técnicas de desenho.
- "Como eu disse, meu traço acabou se tornando algo mais carregado, uma coisa mais pesada em alguns casos. Prezo pela valorização da linha, muitas vezes até uso pincel ao invés de caneta, justamente pra dar esse valor ao traço e carrego nas hachuras ou no preto quando sinto que a linha não vai ficar tão boa por si só. Já tive bastante preferência pela pintura digital durante algum tempo, justamente pela praticidade e por não fazer tanta bagunça, mas hoje em dia sou muito mais a favor do trabalho manual, braçal, carnal."

~  ~

Agora acompanhem comigo algumas de suas ilustrações. Percebam também que além de ter o estilo psychobilly presente em seu dia a dia, também é representado nos desenhos, com vários zombies, e todo esse "clima de terror".





















Alguns dos flyers pro Zombie Walk e outros eventos





E um dos quadrinhos que ele criou, chamado: The Collector.









Espero que todos tenham gostado, e para quem quiser saber mais sobre as ilustrações do Filipe, é só entrar nos dois sites dele:

Obrigada, Filipe, pela entrevista! 
Parabéns pelas ilustrações e pelo talento.

2 comentários:

  1. Curti muito, sou de bsb também e já tinha visto os flyers dele. Fera demais o quadrinho

    ResponderExcluir
  2. De fato, ele é um ótimo artista. Gostei muito dos desenhos dele.

    ResponderExcluir